O caso explica a evolução da MAPFRE, uma companhia que nasce como uma mutualidade no ano de 1933 e que atualmente é uma das grandes empresas do setor segurador. O Instituto San Telmo de Sevilha (Espanha) selecionou a MAPFRE como caso de estudo em seu programa de formação por ser líder em seu setor, por seus valores únicos e por sua sólida e peculiar estrutura corporativa, ao contar com a Fundación MAPFRE como acionista principal.

TEXTO Joaquín Hernández| FOTOS Thinkstock / Instituto San Telmo

A crise anterior obrigou as empresas a repensarem muitas situações e planos. Uma estratégia que estava pensada principalmente para um ambiente mais otimista, objetivos de expansão que não contemplavam uma desaceleração da economia tão brusca, que em alguns países acabou em recessão, ou a falta de liquidez nos mercados influenciaram de modo muito significativo na forma como deviam abordar o futuro. Havia poucas alternativas se quisessem sobrevier. Esta situação externa às próprias companhias não podia ser ignorada e as empresas tiveram que se adaptar.

Neste contexto, a MAPFRE, que gozava de uma boa posição no mercado e uma situação financeira e de solvência invejável, soube reagir a tempo, adaptar toda sua estrutura e tomar as medidas necessárias -de forma paulatina e, em alguns casos, praticamente de forma imperceptível- para continuar sendo uma empresa de referência no seu setor nos mercados onde está presente.

Este foi o ponto de partida do “Caso MAPFRE: em direção ao crescimento rentável“, elaborado pelo Instituto Internacional San Telmo de Sevilha (Espanha) para poder ser analisado no programa ADEL (Diretoria Executiva de Empresas Líderes).

O caso explica -sem avaliar, já que essa tarefa corresponde aos alunosa evolução da MAPFRE, uma companhia que nasce como uma mutualidade no ano de 1933 e que atualmente é uma das grandes empresas do setor de seguros, não apenas na Espanha -onde começou-, como também na América Latina e nos EUA e em outras regiões, como Europa e Ásia, continua fortalecendo sua posição. O caso da MAPFRE no programa ADEL (do qual participam diretores, conselheiros ou presidentes de pequenas e médias empresas, principalmente do sul da Espanha) deseja ser um exemplo no qual outras empresas possam se inspirar para promover sua empresa.

As mudanças que o mercado tinha vivenciado, com clientes que cada vez possuem mais meios ao seu alcance para comparar não apenas preços, mas também serviços, e a possibilidade de contratação por internet aceleraram o processo de omnicalidade da empresa. A empresa sempre tinha sido uma seguradora multiproduto, mas era necessário dar um passo a mais para oferecer aos clientes a possibilidade de serem eles que decidam como se relacionar com a companhia. Os escritórios se tornam, para alguns clientes, um complemento do telefone ou da Internet. Este é só um dos exemplos deste caso de estudo.

Adaptar-se ao ambiente, a uma nova realidade, é fundamental se uma empresa deseja sobreviver e mais ainda em momentos nos quais as mudanças ocorrem a uma velocidade vertiginosa. Isto é uma necessidade maior ainda, se o objetivo for mais ambicioso ainda: continuar sendo líder, onde já se é, e buscar uma posição melhor no resto dos mercados. Isto implica criar novas estruturas que tornem a tomada de decisão mais fácil e permitam aproveitar as oportunidades que cada um dos 45 países no qual a MAPFRE está presente oferecem.

 

Nesta premissa está enquadrada a criação de uma nova estrutura com áreas regionais e territoriais, com o objetivo de conseguir uma organização muito próxima ao terreno, que conhece de perto quais são as necessidades e a realidade de cada um dos países. Além disso, são reforçadas as áreas corporativas com o objetivo de oferecer assim um melhor serviço a todas as sociedades do Grupo, independentemente do país no qual estiverem, e são criadas algumas novas, como Suporte a Negócio ou Negócio e Clientes. No mercado, a situação é nova e as soluções também devem ser novas. Definitivamente, o caminho pelo qual estamos avançando está sendo marcado: ser uma companhia global. E tudo isso apoiado nas pessoas, o grande valor que contribuiu para que a MAPFRE fosse tudo que é hoje.

Esse grande valor, que são as pessoas, também é transferido à equipe executiva da MAPFRE, pessoas que se formaram na companhia, com uma ampla trajetória na empresa e que a conhecem perfeitamente. A expansão internacional da empresa permitiu que muitos desses executivos, incluindo o presidente, tivessem experiência internacional, o que lhes dá um entendimento ainda maior do negócio.

O governo corporativo da empresa e sua evolução durante os últimos anos, com uma redução significativa do conselho de administração e incorporação de mais mulheres, é outro dos assuntos que os membros deste programa analisaram.

Finalmente, o presidente da MAPFRE, Antonio Huertas, compartilhou com os alunos deste programa uma sessão de trabalho, na qual explicou sua visão da companhia, como se adapta a uma realidade cada dia mais mutante, sem perder sua essência e com foco no crescimento rentável, colocando as bases da empresa do futuro.

Antonio García de Castro

Diretor geral do Instituto Internacional San Telmo e professor do caso “MAPFRE: rumo ao crescimento rentável

O QUE SE PRETENDE COM ESTE CASO?

O objetivo é que sirva de reflexão sobre o futuro de uma empresa líder no seu setor, que foi adaptando seu modelo de negócio à realidade e às necessidades dos seus clientes, sem perder sua cultura empresarial. Serve para repensar o futuro da MAPFRE e seus desafios, conhecendo o setor e os objetivos do seu plano estratégico. É um caso que trata todas as áreas de governança: negócio, estrutura de diretoria, compromisso profissional e configuração institucional. Trata aspectos de mudança de diretoria, execução de um plano estratégico, reorganização estrutural, passando de uma gestão mais local a outra mais coordenada regional e globalmente, ou os desafios diante das novas tendências: digitalização, aparição de novas necessidades, novos competidores, novo regulamento, a gestão da governança através de uma Fundação, manter uma cultura muito forte nas novas gerações…

POR QUE A MAPFRE É ESCOLHIDA COMO CASO DE ESTUDO?

A MAPFRE é uma empresa líder em um setor que tem desafios importantes no futuro. É uma companhia com a qual é possível aprender muito em vários aspectos: em negócio, com a internacionalização e o posicionamento; em estrutura, com todos as mudanças que estão fazendo da MAPFRE uma empresa global; em direção de pessoas, por ter conseguido uma equipe comprometida com a companha e uma série de princípios e valores que dão muita força e uma configuração institucional particular, com uma fundação como acionista majoritária. Também é possível encontrar muitos aprendizados do caso e não só para grandes empresas, como também para pequenas e médias.

EXISTE ALGO NO DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL DA MAPFRE QUE POSSA SERVIR DE INSPIRAÇÃO A OUTRAS EMPRESAS?

Destacaria os planos estratégicos elaborados nos dois últimos anos e as mudanças estruturais para construir uma empresa global. Sua solvência e a orientação ao cliente também. Por último a humildade, a austeridade e a simplicidade da sua diretoria executiva e a generosidade do presidente anterior para deixar a companhia por completo (estando evidentemente sempre à disposição do atual).

SUA PERCEPÇÃO DA MAPFRE MUDOU DEPOIS DE REALIZAR ESTE CASO?

Sempre admirei a MAPFRE como empresa líder e multinacional. Entendi as razões do sucesso da MAPFRE e também comprovei que possui coisas para melhorar, como todas as empresas, mas sabem disso e estão dispostos a mudar. Também possui grandes desafios que os motivam a superá-los. Como seu presidente diz: o futuro deve ser construído com determinação.

O QUE O SURPREENDEU NA MAPFRE AGORA QUE VOCÊ CONHECE A EMPRESA MAIS A FUNDO?

Fiquei surpreso com o enraizamento da cultura. E também que nestes anos, diferentemente dos anteriores, optou-se muito mais pela busca da eficiência do que por crescer inorganicamente. Eu conhecia a MAPFRE há muito tempo e o que eu estudava sobre ela sempre me surpreendia positivamente: o Sistema MAPFRE, a internacionalização, a omnicalidade, o compromisso das pessoas, a desmutualização. Agora o completarei com os desafios que possuem em digitalização, nas mudanças estruturais e no conselho de administração e, principalmente, seu impulso e sua sabedoria comercial.

O QUE O CASO MAPFRE LHE OFERECEU COMO PROFESSOR?

Na minha longa carreira profissional, escrevi casos de empresas multinacionais líderes como a Nestlé, que acaba de completar 150 anos, e de empresas líderes do Ibex-35: Telefônica, Ebro Foods ou DIA, e de excelentes e muito rentáveis empresas andaluzas, como a Mayoral ou a Imobiliária del Sur. Todas elas, empresas com sucesso que possuem um modelo de negócio competitivo, uma equipe de diretores competentes e comprometidos e uma propriedade estável que ajuda os diretores. No entanto, na MAPFRE destacaria como realizaram o processo de sucessão do presidente sempre e apostaram em uma pessoa “da casa”, jovem, com 48 anos. Também destacaria como nos primeiros cinco anos, o novo presidente está abordando todos os desafios que a MAPFRE tem para conseguir e o crescimento rentável a longo prazo. E cresci como professor ao ser o tutor de um caso de uma empresa líder onde os participantes aprenderão muito graças à generosidade da MAPFRE.

CONTE-NOS, POR FAVOR, ALGUMA PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE A MAPFRE. O QUE MAIS OS SURPREENDEU?

O caso acaba de ser estreado em um Programa de Diretoria Executiva de Empresas Líderes do qual empresários e diretores executivos das melhores empresas da Espanha participaram; muitos participantes destacaram o compromisso das pessoas e dos diretores que trabalham na MAPFRE e perguntaram ao presidente, Antonio Huertas, como conseguiam isso. Um pequeno gesto como o que vimos ao acabar a refeição, quando o presidente foi à Granada para uma reunião com a rede comercial, com o diretor territorial para ir trabalhando com ele, tornamse a melhor ferramenta para conseguir isso. Ainda é cedo para dizer, mas com certeza como disse anteriormente, os participantes mudarão a imagem que possuem sobre a MAPFRE para melhor. E poderão ficar com algumas ideias para pôr em prática no seu dia a dia em suas empresas. Os desafios que a MAPFRE enfrenta são os mesmos ou parecidos aos que os outros enfrentam: a digitalização, buscar o compromisso e o talento nas novas gerações… São temas que afetam todos e que devemos enfrentar.

MAPFRE, um caso de estudo para empresas líderes
4.06 ( 17 votos )