TEXTO SARA ELENA TORRES HORTAL| Fotografias ISTOCK

A natureza nos ajuda a manter a saúde física e mental. Estar em contato com ela nos ajuda a recarregar energia e relaxar. Um passeio pela cidade ou descansar em casa não obtêm os mesmos resultados que sair e caminhar pelo campo, ir à praia ou sentir o vento no rosto, entre outros. Estar em um ambiente natural tem um grande efeito saudável.

Os benefícios da natureza para nossa saúde começaram a ser mais palpáveis desde o século passado, quando começamos a viver que as mudanças ambientais já envolviam custos econômicos e milhões de mortes prematuras por ano. Também impedem o avanço em nome da erradicação da pobreza e da fome, a redução das desigualdades e a promoção de um crescimento econômico sustentável, o trabalho decente para todos, e sociedades pacíficas e inclusivas.

O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, declarava em fevereiro, durante a apresentação do relatório Fazer as pazes com a natureza, que precisamente isso, “fazer as pazes com a natureza, garantir sua saúde e aproveitar os benefícios, tão essenciais como subestimados, que nos proporciona é fundamental para construir entre todos um futuro próspero e sustentável”, que salvaguarde a saúde e o bem-estar das gerações atuais e futuras.

Que benefícios nos proporciona estar em contato com a natureza?

Órgãos como a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Instituto para a Política Ambiental Europeia (IPAE) ou a Agência Europeia do Meio Ambiente elaboraram diversos estudos que incluem os dados e as conclusões obtidos sobre os benefícios da natureza para a saúde humana. Hoje, desejamos compartilhar com você vários deles:

  • Estar em contato com a natureza pode contribuir para melhorar o estado de ânimo, ajuda à desconexão, a nos concentrar melhor em nossas tarefas cotidianas e reduzir o estresse, o que é importante porque, na atualidade, os transtornos relacionados com a ansiedade e o estresse estão em auge e se estima que cerca de 1.000 milhões de pessoas vivem com um transtorno mental.
  • Estar em contato com a natureza relaxa e oferece uma injeção de energia, que pode ajudar a proteger contra diferentes doenças, por exemplo, respiratórias.
  • Conhecê-la e observá-la desperta nossa curiosidade e interesse por saber mais. Pode favorecer nosso desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem.
  • Neste sentido, é muito benéfica para o desenvolvimento das crianças, especialmente com uma melhoria de sua concentração, habilidades motoras, autoestima e controle das emoções.
  • Se a conhecermos, apreciaremos ainda mais o seu valor e seremos conscientes de como funciona o mundo, como devemos cuidá-lo e como sermos mais responsáveis.
  • Realizar uma atividade física em um ambiente natural, incluídos parques urbanos, melhora nosso ânimo e a autoestima. Essa mesma atividade física ao ar livre proporciona um contexto de interação social que oferece novas oportunidades para o contato social.
  • Estar em contato com a natureza nos brinda uma sensação, um sentimento de liberdade que não encontramos em outros ambientes de nossa vida cotidiana, e que incentiva nossa criatividade.
  • Se entendermos a saúde também como um indicador de qualidade de vida, é possível dizer que a natureza atua como um lugar seguro como refúgio perante a complexidade da vida cotidiana, desconectado de um estilo de vida materialista.
  • Promove a mobilidade sustentável, pois estimula o deslocamento através de meios como bicicletas ou a pé.
  • Mitiga o estresse térmico, ao proporcionar sombra, evaporação e transpiração, principalmente durante os meses mais quentes.
  • Reduz a exposição a poluentes atmosféricos. Além disso, as cores e sons da natureza estimulam a abstração e a reflexão.

  • Diminui o estresse acústico, porque a vegetação impede a propagação do barulho ao absorvê-lo ou difratá-lo.
  • O acesso a áreas verdes públicas e grandes infraestruturas naturais faz parte de um estilo de lazer saudável e bastante econômico, ao alcance de todos os bolsos, oferecendo, além disso oportunidades de interação social.
  • Algumas atividades de voluntariado ao ar livre e aquelas que representam uma interação com a comunidade a nível local, como corridas populares, festivais ou concertos, contribuem para reduzir o isolamento social.
  • A natureza age de maneira integrada, holística, e muitos de seus efeitos são sinérgicos, pois uns potencializam outros.
  • Age como fator amortecedor, favorecendo a redução de riscos psicossociais no trabalho, assim como aumentando a produtividade, ao reduzir os níveis de estresse, facilita um melhor sono ou fomenta a criatividade.

E não podemos esquecer que a natureza nos oferece nosso ar puro, a água, os alimentos e o ambiente em que vivemos! Isto é, a natureza é nossa fonte de vida.

Proteger a natureza para proteger nossa saúde

Até hoje, a economia mundial cresceu às custas de destruir o planeta, mas esta destruição se virou contra a própria economia. Tanto é assim que “o dano ambiental causado pelo homem” e “a perda de biodiversidade” ocupam posições de destaque na classificação do último Relatório de riscos globais do Fórum Econômico Mundial, e a Agência Europeia do Meio Ambiente estabeleceu a Saúde e o meio ambiente como um de seus sete centros temáticos.

Os principais problemas no meio ambiente relacionados com a saúde humana são: a poluição do ar, água e solos, o barulho, as emissões químicas, a poluição alimentar e as consequências da mudança climática, entre outros.

O Plano científico para enfrentar as emergências do clima, a biodiversidade e a poluição “fazer as pazes com a natureza”, da OMS, demonstra que temos a capacidade de transformar nosso impacto no planeta. Uma economia sustentável, impulsionada por soluções baseadas, entre outras, na natureza, mostra e demonstra que devemos trabalhar por um mundo inclusivo, em que a convivência pacífica com a natureza permitirá às pessoas ter uma melhor saúde e, portanto, levar uma vida digna em um planeta saudável.

Aproxime-se da natureza e descubra todos os benefícios que você pode experimentar

 Recomendações para uma recuperação saudável e respeitosa com o meio ambiente

  • Proteger e preservar a fonte da saúde humana: a natureza. As pressões que exerce o ser humano sobre o ambiente, através do desflorestamento, as práticas agrícolas intensivas e poluentes, ou a gestão e o consumo não seguro de espécies silvestres, minam a natureza e o que ela nos oferece.
  • Investir em serviços essenciais, desde água e saneamento até energias não poluentes. Um exemplo: cada dólar investido no fortalecimento da Lei de ar limpo dos Estados Unidos da América se transformou em um lucro de 30 dólares para os cidadãos americanos em termos de melhoria da qualidade do ar e da saúde.
  • Assegurar uma transição energética rápida em pró da saúde. Atualmente, mais de sete milhões de pessoas morrem a cada ano por causa da exposição à poluição do ar (isto é, uma de cada oito mortes). Uma transição mundial rápida para o uso de energias não poluentes não só significaria alcançar o objetivo do Acordo de Paris sobre a Mudança Climática de manter o aquecimento global inferior a 2 °C, mas também melhoraria a qualidade do ar, de maneira tal que os benefícios para a saúde resultantes seriam duas vezes superiores ao custo do investimento.
  • Promover sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis, porque as doenças causadas pela falta de acesso a alimentos ou os regimes alimentares pouco saudáveis, e altos em calorias, são atualmente a principal causa de saúde precária entre a população mundial.
  • Construir cidades saudáveis e habitáveis, já que mais da metade da população mundial vive atualmente em cidades, sendo elas responsáveis por mais de 60 % da atividade econômica e das emissões de gases de efeitos estufa. Utilizar o transporte público, a bicicleta ou ir a pé beneficia nossa saúde e o meio ambiente.
Fuentes: OMS, ONU, Agencia Europea del Medioambiente y MAPFRE España.
Share This