diretora geral de Pessoas e Organização
“O plano é uma oportunidade para receber um salário emocional da MAPFRE”

Por que a MAPFRE lança agora este plano? Qual é o objetivo?
Somos uma das empresas com maiores índices de orgulho de pertença. O engajamento, o compromisso dos funcionários com a estratégia e os fins da empresa são muito elevados. Ainda assim, desejamos incrementar essa vinculação emocional com a MAPFRE e que os funcionários, que voluntariamente adiram, também se beneficiem economicamente da evolução futura da empresa por meio da percepção do dividendo com que, todo ano e sempre em dinheiro, o acionista é retribuído. Somente nos últimos cinco anos, a MAPFRE pagou mais de 2.150 milhões de euros em dividendos, e sempre em dinheiro, situando as ações da MAPFRE entre as mais rentáveis por dividendo do mercado de bolsa.

Quantos são os funcionários aos quais está dirigido o plano e quantos acredita que decidirão participar?
A oportunidade é para todos os funcionários da MAPFRE na Espanha, incluindo as filiais que consolidam o Grupo. A legislação fiscal promove estes Planos, porém condicionados, entre outros fatores, a uma retribuição realizada exclusivamente mediante títulos da empresa. Portanto, nos dirigimos aos cerca de 11.000 funcionários da MAPFRE na Espanha. Em relação ao número de adesões, insisto em que a oportunidade está aberta a todos os funcionários e foi estabelecido um número mínimo de 25 euros mensais, acreditando que pode ser interessante para todo tipo de perfis profissionais. Mas não determinamos um objetivo em números, porque participar neste Plano significa receber em ações parte do salário e, apesar de que a cifra mínima mensal é baixa, são decisões pessoais que cada funcionário deve analisar. Para isso, existe um simulador no Autosserviço para estimar o benefício em função da retribuição real que cada pessoa recebe e da quantia que decide receber em ações ao longo de 2022.

Em relação com a gestão de recursos humanos, o conceito de salário emocional foi implantado como modelo de referência perante os esquemas de retribuição basicamente econômica do passado?
Sim, sem dúvida, é possível dizer que o próprio conceito de “recursos humanos” está superado e agora falamos em Pessoas e, no nosso caso, em Organização. A maioria das empresas já trabalha em esquemas de gestão de pessoas com fórmulas de retribuição flexível, que é conhecido como salário emocional, em que a parte econômica é importante, sem dúvida, mas o diferencial está cada vez mais nos benefícios complementares que promovem a vinculação dos funcionários e a companhia. E este plano, que abre a porta para que os funcionários se sintam proprietários da MAPFRE e recebam um salário adicional através de dividendos, é um exemplo claro de vinculação emocional.

Share This