Rate this post
Muitas mudanças, mas a essência permanece

TEXTO JOAQUÍN HERNÁNDEZ | FOTOGRAFIAS MAPFRE, ISTOCK

Encontrar a história de uma família que trabalha há 75 anos, estando hoje na terceira geração no ramo de seguros, não é fácil. Mas existe. Em Morón de la Frontera (Sevilha) encontramos a família Albarreal, que leva toda sua vida profissional ligada à MAPFRE.

É necessário voltar ao ano de 1946 para conhecer o início da atividade da MAPFRE nesta cidade. Foi no dia 13 de fevereiro daquele ano que Antonio Albarreal iniciou sua carreira profissional como delegado da MAPFRE em Morón de la Frontera. Logicamente, naquela época, os primeiros seguros a serem comercializados eram relacionados ao mundo agrícola: seguros de safra ou seguros de maquinário – os poucos que haviam – para trabalhar no campo. A quota de mercado deste escritório em Morón de la Frontera chegou a ser insuperável (todas as colheitas do município estavam seguradas).

O primeiro escritório foi instalado em sua casa e aí está o germe desta sucursal, que aos poucos foi se abrindo para outros segmentos. Primeiramente eram apenas tratores e, a partir da década de 60, com a aprovação da primeira lei de seguro obrigatório de automóveis, os carros também foram adicionados à carteira. Posteriormente, outros segmentos foram adicionados: casa, comércio e vida já nos anos 70, apenas para citar alguns exemplos. Com efeito, seu próprio slogan de décadas atrás “Peça-nos qualquer tipo de seguro, que seguramente o teremos” poderia continuar válido até hoje neste escritório. No segmento de automóveis, a participação na cidade chegava a 75%. Hoje, logicamente, essa situação mudou devido ao aumento da concorrência, ao surgimento de empresas de telefonia de baixo custo ou à importância do preço acima de qualquer outra consideração para muitos clientes. Mas o que não mudou foi a essência do negócio da família Albarreal: o atendimento ao cliente como premissa fundamental, qualidade e atendimento personalizado.

Seu próprio slogan por décadas ““Nos peça qualquer tipo de seguro, que seguramente o teremos” pode ser válido até os dias de hoje neste escritório

O tempo passou, o escritório mudou de lugar, alguns números mais à frente, mas na mesma rua, hoje é maior, foi modernizado, mas os responsáveis continuam sendo a família Albarreal

O negócio foi crescendo e foi preciso ampliar as instalações. Primeiro foi alugado um espaço em uma antiga fábrica de farinha local, na rua Utrera, mesma rua onde ainda hoje funciona o escritório. O tempo passou, o escritório mudou de lugar, alguns números mais à frente, mas na mesma rua, hoje é maior, foi modernizado, mas os responsáveis continuam sendo a família Albarreal. Atualmente, a segunda e terceira geração desta família trabalha no escritório, empregando diretamente 7 pessoas (três filhos do fundador [Antonio, Felipe e Angel], um de seus netos [Isidoro] e outros três funcionários [José Antonio, Noelia e Mª Angeles], aos quais se somam os empregos indiretos gerados na região [oficinas, encanadores, pedreiros, pintores, etc…]).
Parlourmaid and Under-parloumaid. Ready to Serve Dinner - Bill Brandt
Antonio Albarreal em seu escritório
Blind Woman, New York - Paul Strand

Antonio Albarreal López e filhos, membros da delegação

As mudanças foram muito profundas nestes 75 anos, como recorda Angel, um dos filhos do fundador desta delegação. “Os canais de comunicação na época do meu pai eram uma máquina de escrever e, no máximo, alguns telefonemas. Era necessário ir de porta em porta, no campo, nas tabernas da cidade, nos comércios. Hoje, tudo mudou. É o cliente que nos obriga a adaptar a nossa forma de trabalhar. O atendimento presencial no escritório diminuiu…, mas temos outras formas de relacionamento com os clientes. Whatsapp, por exemplo. Incorporamos novas formas de pagamento: Bizum”.

A inovação também está no centro desta história de décadas. Se a empresa não tivesse se adaptado às novas realidades que o país ia vivenciando, não teria chegado a seu 75º aniversário. Angel se lembra da época em que o primeiro computador e impressora matricial foram instalados no escritório. Até então, a máquina de escrever e os recibos em papel eram o registro de seus clientes, seus pagamentos e seus sinistros. Ali, naquele escritório, as contas eram cobradas em dinheiro e, o que é ainda mais surpreendente, o pagamento de sinistros avaliados em milhares de pesetas também era feito em dinheiro. Hoje em dia, isto é impensável. Mas foi a realidade durante muitos anos.

Isso é lembrado pelos filhos do fundador, mas também por alguns clientes, hoje com mais de 80 anos, clientes fiéis que têm sido os melhores embaixadores deste escritório e os melhores prescritores para seus filhos e netos, destacando o que sempre caracterizou a MAPFRE: espírito de serviço e apoio ao cliente em todos os momentos. As mudanças nestes 75 anos foram muito importantes: a forma de se relacionar com os clientes ou os produtos comercializados nada tem a ver com os de alguns anos atrás, mas a essência continua a mesma. A MAPFRE não mudou neste sentido: o cliente no centro de todos os processos, por mais manuais que estes fossem.

“Fomos adaptando o negócio aos tempos, mas ainda temos um longo caminho a percorrer: a aceleração das mudanças é importante e exige que estejamos preparados para seguir avançando”, reconhece Angel, que lembra como o escritório foi crescendo ao mesmo tempo em que a MAPFRE também crescia.

O escritório da família Albarreal continua sendo um ícone em Morón e região, já que o serviço é prestado não somente nesta cidade, mas também em outros municípios próximos. E, embora a quota de mercado não seja a mesma de décadas atrás, ser a seguradora de confiança de mais de 35% da população é motivo de orgulho para os filhos de Antonio Albarreal, que reconhecem que ele foi o “verdadeiro arquiteto da delegação”. 75 anos sendo a imagem da MAPFRE é apenas o começo de uma longa história que continuará por muitas décadas, pois a terceira geração já está trabalhando no escritório para continuar perpetuando este legado.

Cópia do primeiro contrato (1946)
Carta de Ignacio Hernando de Larramendi a Antonio Albarreal após a inauguração do escritório de Morón em 1974
Apólice de seguro de acidentes (1958)
Apólice de seguro de acidentes (1958)
Share This