Rate this post

Nos últimos 25 anos, presenciamos inúmeros acontecimentos que, de uma forma ou de outra, ficarão para sempre na memória coletiva. Algumas dessas transformações visíveis também na nossa companhia foram documentadas, às vezes, com caráter visionário por meio das páginas de O Mundo da MAPFRE.

TEXTO JAVIER ORTEGA | ILUSTRAÇÃO THINKSTOCK

Quando esta revista deu início à sua trajetória, lá pelo ano de 1993, muitas realidades que já foram vencidas hoje, nem existiam na época. Paralelamente ao nascimento da nossa publicação corporativa, vimos com esperança o início da última do século XX, na qual a aceleração das transformações tecnológicas exerceu um impacto decisivo sobre a forma de nos comunicarmos e fazer negócios. Número após número, por intermédio das suas pessoas e projetos, a companhia sempre foi a principal protagonista destas páginas, mas aqui também deixamos reproduzida uma realidade em mutação, e presenciamos alguns acontecimentos históricos. Muitos outros não chegaram a ter lugar, mas permaneceram na nossa memória coletiva e, em certos casos, também influenciaram aquilo que somos hoje.

A década dos 90 será lembrada, entre outras coisas, por ser a década em que o apartheid e a Guerra Fria chegaram ao final, Dolly foi o primeiro animal clonado e o boom econômico das empresas “ponto com” (e sua crise posterior). 1992, ano que antecedeu nosso lançamento, foi muito especial para a Espanha pela grandeza dos acontecimentos, como as Olimpíadas de Barcelona, a Exposição Universal de Sevilha, a Capital Europeia da Cultura em Madri e os 500 anos de história em comum entre a América e a Europa. A MAPFRE esteve estreitamente ligada a essas comemorações, devido às suas raízes e à sua visão de fazer parte do desenvolvimento das sociedades nas quais opera. Hoje em dia, ainda existem símbolos que nos fazem lembrar dessa época, como a Torre MAPFRE na vila Olímpica (um dos arranha-céus mais altos da Espanha) e a ponte da Barqueta na capital da Andaluzia, que teve nosso patrocínio. A MAPFRE não só administrou as apólices de seguros de todos os trabalhadores e pavilhões da Expo, senão que teve seu próprio dia na agenda das comemorações. As primeiras páginas de O Mundo da MAPFRE reproduziram aquele dia especial que contou com a presença de inúmeros convidados.

Naquela época, a Europa continuava com seu processo de construção, ainda não concluído, com etapas marcantes, como a entrada em vigor do Tratado de Maastrich em 1993 (um dos documentos de base da atual União Europeia), e a chegada da carteira de motorista europeia, que foi reportada pela nossa revista no nº 2 de abril daquele ano. Nesse número também foram dedicadas páginas ao “Ano Jacobeu”, com o qual o Caminho de Santiago foi revitalizado de maneira decisiva, tornando-se novamente o foco de interesse de peregrinos do mundo todo. O lançamento do foguete Ariane IV (que transportou o satélite de comunicações espanhol Hispasat 1B) e a retirada do Michael Jordan das quadras também foram notícia naquela ocasião.

Na parte de despedidas, nos anos 90, demos o último adeus a pessoas de destaque que chegaram à categoria de ícones, como o cantor de rock Freddie Mercury em 1991, o campeão do mundo de Fórmula 1 Ayrton Senna em 1994, a princesa Diana de Gales e a madre Teresa de Calcutá em 1997, e o cineasta Stanley Kubrick em 1999.

FIM DO SÉCULO CONECTADOS

Em meados dos anos 90, um novo recurso tecnológico chegou às nossas vidas para ficar, embora fizesse tempo que vinha sendo provado. A reportagem “Internet, nas redes da Rede”, publicada no número 16 de O Mundo da MAPFRE (outubro de 1996), descrevia suas principais virtudes e era feita uma previsão do fim do correio tradicional e do telefone fixo em um prazo de 10 anos. Essa notícia incluía informações úteis, como uma listagem de nove lugares onde localizar Internet pública no mundo todo, e o cálculo do preço de contratar esse serviço em casa. Pela primeira vez, eram mencionados conceitos como a Intranet, definida nas nossas páginas como “uma tecnologia associada à Internet por meio da qual é possível divulgar informações da empresa internamente”. Justamente nessas datas também foi falado com força sobre o temido “efeito 2000” que previa o caos nas indústrias, porque não se sabia se os sistemas operacionais iriam reconhecer esse ano ou voltariam a 1900. Afinal, essa questão foi diluída e desapareceu.

Na parte do meio ambiente, embora as notícias sobre o assunto viessem sendo informadas cada vez mais nos últimos anos, já em 1998 nós prevíamos na nossa matéria que “A mudança climática não é ficção científica” (nº 21, janeiro de 1998), uma coisa que, infelizmente, ficou confirmada de forma clara. No campo da economia, no final da década, ficou definido o uso de um único tipo de moeda para 11 países europeus e, em 1999, nascia o euro, embora tenha entrado em circulação apenas em 2002. Relatamos esse assunto no nosso nº 27 de junho daquele ano.
 

 
DESAFIOS DO NOVO SÉCULO

No entanto, houve um acontecimento que representou realmente um antes e depois da história recente da Humanidade – o 11-S. Os trágicos atentados terroristas nos Estados Unidos daquele dia de setembro deram forma a um novo cenário no mundo globalizado, com mudanças na economia, nas relações internacionais, na segurança e também, claro, no campo do seguro. Isto foi reproduzido em uma extensa reportagem que publicamos sobre esse assunto no quarto trimestre daquele ano, no nº 35.

Entre tantos outros marcos, a primeira década do século XXI também foi a da Guerra do Iraque, o auge da China como potência mundial, a sequenciação do genoma humano e a chegada de Barack Obama à Casa Branca, o primeiro presidente afro-americano dos Estados Unidos. No campo social, entramos de cheio nas novas formas de consumo através da Internet: compramos de uma maneira diferente, ouvimos música de outra forma, assistimos televisão de modo diferente, e também nos relacionamos e comunicamos de outra maneira graças às redes sociais, nas quais também apostamos como empresa. Temos pela frente muitos desafios (econômicos, demográficos, ecológicos, entre outros) que terão que ser abordados buscando o equilíbrio entre aquilo que necessitamos e o que o planeta precisa, e encontrando uma boa aliada na tecnologia. Quando publicamos um artigo intitulado “Chega a digitalização” no Nº 69 de O Mundo da MAPFRE em 2010, e começamos a falar de conceitos diferentes, como “medicina virtual”, nas nossas páginas, provavelmente não tínhamos ideia da magnitude que projetos, como o atual Saúde Digital ou o protagonismo dos novos canais, chegariam a ter sobre o negócio.

Esta revista está fazendo 25 anos com todos os âmbitos da sociedade mergulhados em um processo de transformação que nos levará a um futuro que, embora incerto, imaginamos ser o melhor. Um futuro que esperamos continuar contando nos próximos 25.
 
 
 
 

Share This