TEXTO ALEJANDRA FERNÁNDEZ

Neste outono, a Fundación MAPFRE apresenta três grandes exposições em suas salas em Madrid e Barcelona. Além disso, seguindo a programação de mostras itinerantes, outras exposições viajarão para Corunha, Las Palmas de Gran Canaria, Berlim e San Francisco.

“Redescubriendo el Mediterráneo”

Uma das grandes referências culturais da temporada, a exposição ‘Redescubriendo el Mediterráneo’, poderá ser visitada a partir do dia 10 de outubro na Sala Recoletos, em Madrid. Esta exposição oferece uma viagem através de pinturas e esculturas de vários artistas que, entre o final do século XIX e o início do século XX, encontraram na arte e na cultura um momento de celebração, felicidade e alegria e o projetaram em todas as suas obras. A “redescoberta” do Mediterrâneo, grande protagonista desta exposição, aconteceu na Europa; os banhos de sol, a busca da luz, da cor do mar e da paisagem começaram a entrar na moda e converteu, assim, os herdeiros do Impressionismo e da pintura plein air em símbolos da reconciliação com o passado e em um lugar de liberdade artística para a criação e evolução de uma arte moderna.

Nesta exposição, composta por mais de 140 obras de mais de 74 fornecedores, podemos desfrutar de obras dos grandes nomes da história da arte como Aristide Maillol, Auguste Renoir, Carlo Carrà, Claude Monet, Henri Matisse, Hermen Anglada-Camarasa, Joaquín Sorolla, Pablo Picasso, Salvador Dalí e Vincent Van Gogh, entre outros, com o Mar Mediterrâneo como fio condutor.

Fotografia. Um diálogo com o espectador

A sala de exposições localizada na rua Bárbara de Braganza, 13, também em Madrid, será o local onde a Fundación MAPFRE apresentará a exposição de fotografia Humberto Rivas, um artista nascido em Buenos Aires em 1937, que desde 1976 e até sua morte, em 2009, viveu e trabalhou como fotógrafo e professor em Barcelona.

Humberto Rivas. Violeta la Burra y su madre, 1978 Espaivisor, Valência © Associação Archivo Humberto Rivas

Esta exposição, que tem suas portas abertas ao público desde o dia 21 de setembro, é a maior retrospectiva de sua obra realizada até agora. A exposição pretende recuperar a fotografia de Rivas e destacar a importante renovação da linguagem fotográfica que o seu trabalho pressupôs.

Criador de uma nova forma de documentar, suas imagens buscam capturar a marca do tempo e da memória com um estilo sóbrio e simples que convida ao diálogo com o espectador.

O impacto causado por sua obra em Barcelona supôs um importante impulso para o reconhecimento da fotografia como suporte de criação artística em nosso país. Situada naquela época em uma situação de marginalidade com relação a outras disciplinas artísticas, a fotografia criativa descobre com este construtor de imagens uma nova forma de documentar, de buscar a impressão do tempo, da cultura e da memória.

Em barcelona, um diálogo entre dois grandes artistas

E a partir de 12 de outubro você poderá visitar na Casa Garriga Nogués, em Barcelona, a exposição Picasso- Picabia. ‘La pintura en cuestión’, uma exposição composta por mais de 150 peças, incluindo pinturas, artes gráficas, cartas e fotografias, e que estabelece um diálogo entre as obras de Pablo Picasso e Francis Picabia. A originalidade desta exposição é que eles nunca foram associados desta maneira, o que é uma oportunidade para conhecer os elos reais e imaginários e as divergências que existiam entre eles.

Através do trabalho destes dois grandes artistas, a exposição percorre um período essencial na história da arte do nosso tempo: desde 1910, quando o cubismo está em pleno auge juntamente com o dadaísmo, do qual Picabia foi um dos seus grandes seguidores, até o período compreendido entre 1925 e 1928, em que ambos compartilham o gosto pelo chamado “classicismo monstruoso”.

A exposição termina com uma seleção de suas últimas telas, nas quais, se Picasso retorna incansavelmente à figura humana, até sua morte em 1973, Picabia, cuja carreira termina em 1953, reduz o ato de pintar quadros monocromáticos sutis salpicados por pontos.

As exposições da Fundación MAPFRE viajam

E para continuar com sua iniciativa de levar arte aos cidadãos do mundo todo, a programação expositiva da Fundación nesta temporada chega a vários países. Assim, a Fundación MAPFRE irá apresentar na sede da Fundación MAPFRE Guanarteme em Las Palmas uma exposição dedicada a Luis Bagaría, o mais importante cartunista político espanhol do primeiro terço do século XX, composta por sua coleção artística. Com seu traço pessoal e sua grande capacidade de síntese, Bagaría nos convida a refletir sobre um mundo mais justo.

Na Fundación Barrié em Corunha, você poderá ver a coleção de fotografias da artista mexicana Graciela Iturbide, considerada uma das fotógrafas mais influentes da América Latina. Trata-se da mais completa coleção de seu trabalho, com um total de 186 fotografias que permitem uma viagem transversal por sua obra desde seus primeiros projetos até alguns dos mais recentes. Ademais, serão inauguradas as exposições Nicholas Nixon e Brassaï, produzidas pela Fundación, em Berlim, na C/O Berlin, e na SFMoMa, em San Francisco, respectivamente.

Focado principalmente no retrato, e com uma grande capacidade de exprimir as possibilidades de sua câmera, Nicholas Nixon nos propõe um mundo através de sua obra que abrange desde as primeiras visões das cidades dos anos 70 até a conhecida série ‘The Brown sisters’. Idosos, doentes, a intimidade de casais e familiares são alguns dos temas que cativaram o artista ao longo de sua carreira.

Por sua parte, o trabalho de Brassaï, já reconhecido no início da década de 1950, passou a ser considerado como um dos pilares do nascimento e evolução de uma nova tendência na prática fotográfica que surgiu entre as duas guerras mundiais, transcendendo sua natureza documental para recuperar a concepção da fotografia como meio criativo.

 

Imagem de abertura: Paul Cézanne, La Montagne Sainte-Victoire, c. 1887-1890 Musée d’Orsay, París RF 1969-30 Foto: © RMN-Grand Palais (musée d’Orsay) / Hervé Lewandowski
Share This