Milhares de aeronaves não tripuladas e guiadas por GPS começam a formar  parte da nossa paisagem. Mais de 174.000 drones serão vendidos este ano para vigiar fronteiras, prevenir falhas e revisar o estado da rede elétrica. O mais recente? Também transportam passageiros, fiscalizam provas e distribuem comida em domicilio

TEXTO Ana Gutiérrez | FOTOS Thinkstock

Os drones, essas pequenas aeronaves não tripuladas das quais todo mundo fala, não são uma invenção deste século, por incrível que pareça, são do final do século XIX.

O primeiro avião não tripulado surgiu na Áustria, em 1849, onde pela primeira vez foram fabricados 200 dirigíveis que lançaram bombas contra Veneza. Também durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial foram utilizados aviões militares sem piloto com o objetivo principal de realizar fotografias aéreas que eram empregadas para vigiar os movimentos do inimigo e para destruir cidades inteiras.

Hoje, os drones de uso profissional continuam sendo essenciais em trabalhos de inteligência e combinam sua capacidade de vigilância com o fato de serem eles mesmos armas. Enquanto militarmente se trabalha na integração de drones cada vez mais sofisticados em seus sistemas, do ponto de vista civil se começa a utilizar outros para uma infinidade de usos cada vez mais interessantes. Em alguns casos, estes aparelhos, que pesam entre 2 e 25 quilos em média e que custam no mínimo 300 euros, substituem em suas tarefas os aviões e helicópteros porque podem ser mais baratos e eficazes.

Segundo a Gartner, consultora especializada no setor tecnológico, prevê-se que em 2017 serão vendidas mais de 174.000 unidades para uso comercial, números que continuarão aumentando nos próximos anos até chegar aos 11 bilhões e 800 milhões de euros em vendas até o ano 2020.

O espetáculo está servido

Há poucos meses, os espectadores da Super Bowl, o principal campeonato profissional de futebol americano, apreciaram um show de Lady Gaga com um céu repleto de luzes. Isto foi possível graças aos 300 drones da Intel que cruzaram o céu, iluminando-o com seus LEDs. Pedir uma pizza que não chegue em uma moto também é possível. Até o momento, só conseguiu isso uma empresa russa que serve pizza a seus clientes utilizando pássaros metálicos que entregam os pedidos de forma rápida e segura.

Provas e grafites

As salas-de-aula também começam a ver drones. Na China, por exemplo, nos exames equivalentes aos nossos vestibulares, é habitual que os drones fiscalizem os alunos de forma silenciosa, evitando assim que colem de outros companheiros ou que façam uso de anotações. Tais aparelhos também podem detectar sinais de rádio e comprovar se os estudantes utilizam fones de ouvido ou óculos com câmeras incluídas. Na Alemanha, também estão sendo empregados drones para identificar as pessoas que fazem pichações em trens e em estações ferroviárias.

Prevenção de pragas e incêndios

Nem todos os usos são tão impressionantes. Atualmente, os drones também são utilizados para que importantes setores da economia evoluam. É o caso do setor agrícola, um dos que mais rapidamente comprovaram como um drone pode ser útil para revolucionar o campo. Os drones são capazes, por exemplo, de analisar e detectar problemas em cultivos, proporcionar o tratamento necessário e otimizar os custos de fertilizantes e agrotóxicos. Também no setor florestal, os drones permitem atualmente realizar inventários e classificar espécies em grandes superfícies, bem como detectar pragas por intermédio de câmeras e prevenir incêndios.

Salvamento e ajuda humanitária

Estas naves também estão abrindo espaço em crises humanitárias por intermédio de grandes organizações que começam a utilizá-las para elaborar um mapa dos assentamentos de refugiados, avaliar as necessidades dos desalojados, organizar seu registro e planejar os serviços de saneamento, saúde e educação convenientes. Também no momento de encontrar uma pessoa desaparecida ou que se encontra no local onde houve uma catásfrofe, é muito útil utilizar drones que venham com sensores térmicos ou que sobrevoem áreas de difícil acesso.

Viajar de táxi

O que sem dúvida impressionará a muitos será ver drones sobrevoando o céu e transportando passageiros, no mais puro estilo O quinto elemento, filme icônico dos anos 90, no qual o meio de transporte por excelência eram os veículos voadores. O que parecia ficção científica já não é. Em Dubai será possível pegar um táxi que voe sem piloto e que transporte um passageiro pela cidade, a partir de junho. Bem, é verdade que os interessados não poderão pesar mais de 100 quilos, só poderão viajar com uma pequena peça de bagagem e realizar um percurso não superior a 30 minutos e 50 quilômetros de distância. O trânsito já não será desculpa para chegar tarde no trabalho.

Os drones na MAPFRE

Não existe dúvida de quanto estas aeronaves podem facilitar o trabalho. Há pouco tempo, um hotel sofreu um incêndio e, graças à utilização de um drone, foi possível chegar rapidamente e conhecer a extensão dos danos e a origem do incêndio. Tudo isso de forma ágil e sem que o perito regulador corresse nenhum risco. 

Seguro de responsabilidade civil

A MAPFRE na Espanha se une ao México e ao Chile com o lançamento de um seguro específico para drones, orientado ao uso profissional que autônomos e empresas possam realizar com estes veículos. Trata-se de um produto flexível, que se adapta às necessidades de cada cliente, que cobre a responsabilidade civil perante os danos tanto materiais como pessoais, e que permite selecionar diferentes limites de seguros em função dos diferentes usos para os quais sejam destinados. Para o lançamento deste produto, a MAPFRE contou com a ajuda do Centro de Experimentação e Segurança Viária da MAPFRE (CESVIMAP), entidade que conseguiu a licença da Agência Estatal de Segurança Aérea como operadora de drones.

Com razão do lançamento do produto e da obtenção da licença da AESA, a MAPFRE e o CEVISMAP representaram recentemente o setor de seguros no CIVILDRON´17, congresso sobre as aplicações dos drones na indústria civil, que este ano foi patrocinado pela Comunidade de Madri

Drones sob controle

Na Espanha, a Agência Estatal de Segurança Aérea (AESA) é o órgão encarregado de exercer as competências em matéria de controle da circulação aérea geral no conjunto da atividade aeronáutica espanhola. Estes são os requisitos para poder utilizá-los de forma segura:

  • Ter um seguro de responsabilidade civil específico para aeronaves
  • Dispor de uma licença  para pilotar drones
  • Contar com um atestado médico vigente
  • Cada drone tem que estar registrado na AESA com sua placa identificativa 

Rincando com drones

Durante a última campanha de Natal, as vendas de drones para lazer e entretenimento na Espanha aumentaram 40% se comparadas com o quarto trimestre de 2015. Uma das páginas mais famosas de venda on-line conta com mais de 1.000 modelos diferentes de drones, o que dá uma ideia da dimensão que este mercado está ganhando. Nos Estados Unidos, por exemplo, a compra desse tipo de drone também está crescendo.
Segundo dados da Consumer Technology Association (CTA), a federação estadunidense das tecnologias de consumo, no ano passado, durante as férias, foram vendidos um total de 1,2 milhões, o que representa um faturamento de 953 milhões de dólares, mais de 115% se comparado a 2015.

Jugando con drones

Durante la pasada campaña de Navidad, las ventas de drones para un uso de ocio y entretenimiento en España se incrementaron un 40% con respecto al cuarto trimestre de 2015. Una de las páginas más famosa de venta online cuenta con más de 1.000 modelos distintos de drones, lo que da una idea de la dimensión que está tomando este mercado. En Estados Unidos, por ejemplo, la compra de este tipo de drones también está creciendo.

Según los datos de Consumer Technology Association (CTA ), la patronal estadounidense de las tecnologías de consumo, el año pasado, se vendieron durante las vacaciones un total de 1,2 millones de drones, lo que representa una facturación de 953 millones de dólares, más de un 115% con respecto a 2015.

Amazon. Prime Air

Así es llamado el proyecto de la compañía líder en comercio electrónico a nivel mundial. Estas navidades se realizaron pruebas de entrega a domicilio en zonas poco pobladas y el resultado fue que en menos de 15 minutos el cliente contaba con su pedido en casa. Para entregas en otro tipo de áreas habrá que esperar un tiempo para ver cómo actúan estas aeronaves.

Share This