La Dirección Corporativa de Tecnología y Procesos de MAPFRE, conocida por todos los empleados como “la DCTP”, diseña, planifica y gestiona las tecnologías de MAPFRE, además de impulsar, colaborar y dar el soporte necesario para la gestión por procesos, todo ello con una clara orientación a Negocio.

Texto MARÍA JESÚS PÉREZ FUENTES Y EQUIPO DE LA DCTP | Ilustración portada THINKSTOCK

Para a MAPFRE, a tecnologia é um ativo estratégico, uma peça essencial para se adaptar aos desafios que os novos modelos de negócio apresentam, que geram impacto em todo o nosso ecossistema (clientes, prestadores de serviço, canais de distribuição, fornecedores…). Por isso, durante os últimos anos a companhia vem realizando um esforço significativo liderado pela DCTP para ganhar a agilidade necessária para enfrentar o paradigma da nova era digital.

A diretoria, encabeçada por Felipe Nascimento, impulsiona a mudança cultural empreendida pela companhia e o trajeto abrangido pela Iniciativa Estratégica Corporativa de Transformação Digital. A DCTP se encarrega de dar suporte à maioria das iniciativas estratégicas, como parte da Área Corporativa de Suporte a Negócio, à qual pertence junto com as diretorias corporativas de Negócio Digital e de Operações.

Atualmente, a área de TI e Processos está composta por quase dois mil profissionais no mundo todo, que prestam serviço tanto às entidades como às áreas corporativas. Flexibilização de horários, agilidade, trabalho colaborativo e orientação aos projetos são algumas das características da forma de trabalho das equipes de tecnologia. Elas se encarregam de planejar e executar projetos e de dar suporte a toda a estrutura tecnológica, possibilitando que todos os funcionários da MAPFRE possam realizar suas funções de forma eficiente, produtiva e segura.

Estes profissionais contribuem de forma destacada para o profundo processo de transformação e mudança cultural que está sendo produzido dentro da nossa organização, que tem as pessoas como pilar fundamental e a tecnologia como um habilitador e propulsor da mudança.

A atividade da DCTP se baseia nos quatro pilares estratégicos da MAPFRE: Foco no cliente, Excelência na Gestão Técnica e Operacional, Transformação Digital e Cultura e Talento. No Foco no Cliente, contribui-se de duas formas. Por um lado, dando suporte à estratégia definida pela Área de Negócio, Clientes e Inovação e sua respectiva aterrissagem nos países e, por outro lado, definindo e implementando o catálogo de serviços que alinha as expectativas de negócio, suas necessidades e o atendimento prestado por TI.

Na Excelência em Gestão Técnica e Operacional, implementando a plataforma tecnológica corporativa, que é o conjunto de soluções tecnológicas desenvolvidas para dar suporte aos processos de negócio e TI no mundo todo e é constituída como uma peça essencial no processo de globalização e digitalização da MAPFRE. Tal plataforma oferece homogeneidade, eficiência, sustentabilidade e agilidade nos diferentes processos.

A Transformação Digital, cujo objetivo é responder com agilidade às novas necessidades dos nossos clientes e na qual estamos trabalhado há mais de dois anos, hoje se encontra bem madura, embora o processo de evolução seja constante. Sabemos onde estamos, onde queremos chegar, quais são as capacidades necessárias para nos transformar digitalmente e como nos organizar para ir desenvolvendo-as de forma coordenada. O objetivo da área é digitalizar nossa relação com os clientes e nossas operações, apoiando-nos para isso em TI e, principalmente, nas pessoas, tudo isso para agregar valor ao negócio.

No pilar de Cultura e Talento, a iniciativa de Gestão do Talento na DCTP se encontra em sua fase final, faz parte da iniciativa corporativa e tem um papel fundamental na transformação global da MAPFRE, que precisa de pessoas com capacidades e habilidades globais para enfrentar os novos desafios e oportunidades. NA DCTP, por um lado, foram identificados e definidos os perfis estratégicos globais que atendem às necessidades estratégicas de Tecnologia e Processos e, por outro lado, foram identificadas as pessoas com maior potencial para cobrir esses perfis e que passaram a fazer parte da MGTN (MAPFRE Global Talent Network).

Além disso, as pessoas desta Diretoria utilizam novas metodologias de trabalho (Agile, DesingThinking, Lean…) e novas ferramentas que permitem desenvolver o trabalho colaborativo, tudo isso para melhorar a resposta ao negócio e assim entender melhor as necessidades dos nossos clientes. Todos estes fatores se alinham e complementam um objetivo principal: atender as necessidades do cliente de forma ágil e efetiva ao mesmo tempo que cria valor para o negócio.

xgfhsthsthat

Para a MAPFRE a tecnologia é um ativo estratégico e um habilitador para a transformação, mas as pessoas são os propulsores e responsáveis pelo processo de adaptação dos nosso negócio à nova realidade social

A origem da DCTP

A tecnologia há alguns anos é o motor na transformação das companhias, por esta razão, entre outros motivos, em 2007 foi decidido criar a Diretoria Geral de Tecnologia e Processos (DGTP) para contribuir com a transformação da MAPFRE. Anteriormente, cada companhia tinha equipes de TI independentes, que atuavam como pequenas unidades independentes e não como organização de TI.

A DGTP nasceu para orientar a informática em direção à estratégia da MAPFRE, tanto corporativa como operacional, e liderar um processo de transformação operacional que permita economizar custos com um melhor aproveitamento dos recursos e informática comuns. De 2007 a 2014 o negócio começou a evoluir rumo a um foco ao Cliente e a integrar diferentes negócios.

Em 2014, a MAPFRE centrou sua estratégia em ser uma companhia global e foram designadas competências globais à DCTP. Esta Diretoria é definida como a Diretoria Corporativa da MAPFRE que garante, de forma global e sustentável, o suporte tecnológico à sua operação, e proporciona soluções inovadoras com o objetivo de colaborar com a consecução dos seus objetivos empresariais. Além disso, promove e desenvolve a orientação da companhia a processos, colaborando em sua definição e melhoria.

Para cumprir com a estratégia da MAPFRE, inicia-se o Plano de Globalização da DCTP, onde são definidos a estratégia e o modelo de governança operacional e de entrega, e a Tecnologia é catalogada em três tipos de elementos -Globais, Específicos e Locais. Iniciase focando especialmente nos elementos Globais e a tendência é ter os demais elementos corretamente mapeados e controlados para que, sempre sob a premissa de valor agregado ao negócio, seja possível trabalhar em propostas de convergência e reutilização de peças comuns.

As diferentes fases de evolução da Área estão permitindo passar de uma tecnologia “artesanal“, baseada na programação e na gestão de sistemas isolados e desconectados interna e externamente, com uma inovação esporádica, a uma tecnologia “digital“, onde focamos no modelo de negócio, onde há plena confiança com a TI, e focamos na inovação digital.

Projetos, a chave da transformação

A DCTP trabalha orientada aos projetos, que são a principal força de transformação na empresa.

Os projetos que ocupam atualmente a DCTP são distribuídos em diferentes linhas de trabalho, os que dão respostas aos processos core, os que dão resposta aos processos de suporte, os próprios de infraestrutura e os que digitalizam a companhia. Estes últimos desenvolvem nossas capacidades digitais. Exemplos de algumas capacidades sobre as quais já há projetos definidos são Autoatendimento, Big Data ou Arquitetura Empresarial, que surgem para responder a um desafio local. Todos eles têm um objetivo em comum: oferecer soluções globais que sejam motores da mudança dentro da organização.

Sem dúvidas, a MAPFRE tem uma boa parte do trajeto já percorrido na trilha do caminho da evolução tecnológica e a DCTP continuará acompanhando nossa companhia neste percurso.

A tecnologia a serviço da organização
4.85 ( 13 votos )