É um projeto fundamental que vai garantir que a organização conte com recursos formativos necessários para o desenvolvimento das pessoas e o apoio ao negócio.

TEXTO Pablo Fuentes   IILUSTRAÇÕES Thinkstock

A formação é um elemento essencial para a MAPFRE. Isso está refletido nas principais magnitudes de formação da companhia em 2016: um investimento de 18,4 milhões de euros, 1,5 milhões de horas e mais de 270 mil assistências de formação que mais de 99% do quadro de funcionários recebeu. Este compromisso da MAPFRE com o desenvolvimento dos seus profissionais tem duas premissas importantes: deve estar sempre alinhado com a estratégia e focado nos conhecimentos técnicos dos nossos negócios.

Após o lançamento global da Universidade Corporativa com 16 escolas técnicas de conhecimento, cinco salas, um Innolab, três campus presenciais (Madri, Cidade do México e São Paulo) e o eCampus com mais de 700 programas de formação online, a Área Corporativa de Recursos Humanos colocou em funcionamento em 2016 a iniciativa Caminhos do Conhecimento, um desafio ambicioso.

Caminhos do Conhecimento responde duas questões relevantes. Por um lado, garante que os planos de formação, tanto corporativos quanto locais, incluam os conhecimentos necessários para cada função. Por outro lado, identifica conhecimentos em algumas das funções da companhia para os quais ainda não tinham sido desenvolvidos recursos formativos.

O projeto se torna assim um elemento fundamental na gestão do aprendizado e do conhecimento na MAPFRE, transformando o conhecimento em recursos formativos através de itinerários alinhados com a estratégia.

Mas qual é o caminho que o conhecimento segue na MAPFRE? O Plano Estratégico e o mapa de funções da companhia marcam o ponto de partida, sempre com a missão, como indicamos, de ligar o aprendizado aos objetivos de cada função. A partir daqui a iniciativa é estruturada em quatro fases.

1. A primeira delas consiste em identificar os conhecimentos que cada funcionário deve ter ou adquirir para realizar seu trabalho de forma ideal, de acordo com a função que desempenhar. Este processo é realizado junto com as áreas corporativas, os países e as unidades de negócio. Por exemplo, na Função Atuarial, foram identificadas quatro áreas de conhecimento: Tarifação, Provisões Técnicas, Modelos Preditivos e Risco Segurador. Para cada uma delas, são identificados conhecimentos concretos, como técnicas de tarifação tradicionais e avançadas (para Tarifação), cálculo de provisões técnicas ou provisões de prêmios (para Provisões Técnicas), cálculo e elaboração de modelos preditivos em função da natureza preditiva (para Modelos Preditivos) ou técnicas para a medição do risco segurador (para Risco Segurador).

2. Em uma segunda fase, o objetivo é transformar estes conhecimentos fundamentais em recursos formativos.

3. Após identificar os conhecimentos por função e transformá-los em recursos formativos, na terceira fase é elaborado o inventário de recursos e são estabelecidos itinerários por posto.

4. Finalmente, na quarta e última etapa é lançado o conhecimento através das escolas e salas da Universidade Corporativa da MAPFRE, chegando a todos os funcionário do mundo.

ELVIRA ARANGO, subdiretora geral de Formação e Gestão do Conhecimento, destaca os benefícios da iniciativa. “Por um lado, contribui para identificar e administrar o conhecimento na MAPFRE e alinhá-lo com a nossa estratégia sempre com foco no negócio. Por outro lado, ajuda cada funcionário a escolher sua rota de aprendizado. Além disso, através do autodesenvolvimento, a formação de profissionais mais flexíveis e polivalentes é favorecida”.

Caminhos do Conhecimento introduz também o conceito de autodesenvolvimento, um modelo no qual a MAPFRE está avançando e que permite ao funcionário escolher parte do seu aprendizado dentro de um amplo catálogo de recursos formativos, tanto relacionados ao seu âmbito funcional como com outras funções. O autodesenvolvimento favorece a mobilidade funcional e geográfica dos funcionários e implica um passo muito importante na gestão da formação na MAPFRE.

É importante ressaltar que Caminhos do Conhecimento foca na formação técnica dos nossos negócios, com o objetivo de que 70% da formação na MAPFRE em 2017 esteja orientada aos âmbitos técnico, comercial e de operações. Ou seja, trata-se de potencializar em cada país e unidade de negócio o aprendizado nestas funções através de cursos presenciais e online, entre outros recursos.

Elvira Arango, subdiretora geral de Formação, destaca os benefícios da iniciativa. “Por um lado, contribui para identificar e administrar o conhecimento na MAPFRE e alinhá-lo com o negócio. Por outro lado, ajuda cada funcionário a escolher sua rota de aprendizado. Além disso, através do autodesenvolvimento, a formação de profissionais mais flexíveis e polivalentes é favorecida”.

Caminhos do Conhecimento: A MAPFRE adapta o aprendizado à estratégia de cada negócio e função
4 ( 2 votos )